Notícias

A coruja cantou no Rio de Janeiro

01/07/2010 - Fê Nogueira

Erivan Alves de Almeida, 63 anos, alagoano que ficou conhecido no Brasil inteiro como Zinho, o mestre do forró, faleceu por volta das 17h deste domingo no Hospital Mário Kröeff, no bairro da Penha, cidade do Rio de Janeiro. O cantor e compositor, nascido em Rio Largo, recuperava-se do tratamento de um câncer de próstata e havia sido surpreeendido pelo crescimento de um nódulo pescoço. Em virtude disso, o músico estava internado desde o último dia 22.O sepultamento será no Rio de Janeiro. O local e o horário ainda será definido.

'Ele já tinha outra família constituída aqui no Rio de Janeiro e não achamos justo tirá-lo daqui para sepultar em Maceió. Ainda estamos decidindo onde será sepultado, pois a médica ainda não liberou o corpo para o velório'- explica Márcio Roberto de Almeida, o segundo, dos cinco filhos, do primeiro casamento do cantor.

De acordo com a Margô Casas, esposa de Zinho, o cantor estava se alimentando com sonda, respirando com a ajuda de aparelhos e passava a maior parte do tempo sedado. O filho do cantor, Márcio Roberto, disse por telefone que o pai não reagia a estímulos desde a sexta-feira. Neste domingo ele teve uma parada cardíaca.

Trajetória

No embalo da sanfona, do batuque da zabumba e do tilintar do triângulo, ‘Mestre Zinho’, apelido que ganhou do rei do baião, Luiz Gonzaga, conseguiu fazer sucesso e ter o seu trabalho reconhecido ainda na década de 80.

São deles composições que caíram no gosto popular e, até hoje, ainda estão na ponta da língua de todo mundo: ‘...dancei com documento na mão...’, ‘...ai ai, meu bem, por isso eu não te troco por ninguém... Mas antes de começar carreira solo, o artista participou, por oito anos, do famoso grupo ‘Os Três do Nordeste’, de Campinha Grande. Para conseguir ser selecionado para a vaga de vocalista, ele contou com a ajuda do radialista Romildo Freitas, que à época, apresentava um programa de forró e conhecia a maior parte dos músicos que tocava o tradicional forró pé-de-serra.

No seu disco ‘Murro em ponta de faca’, Zinho trouxe participações ilustres, a exemplo de Dominguinhos, Amelinha e Luiz Gonzaga, que morreu um ano depois.

Nem depois de ter sofrido um grave acidente de carro, em 2006, que tirou parte dos movimentos de uma das suas mãos, Zinho desistiu do forró. Mesmo com dificuldade na coordenação motora, ele conseguiu ser também um dos maiores triangulistas do pé-de-serra.

Durante a carreira solo, Zinho também fez participações em álbuns gravados por outros artistas que, tanto quanto ele, cantam o forró: ‘Fruto’, de Elba Ramalho, e ‘Forró de cabo a rabo’, que foi promovido pelo Centro Cultural Banco do Brasil.

 

Fonte: http://gazetaweb.globo.com/v2/noticias/texto_completo.php?c=194951

Mestre Zinho no Bar Forró

Veja abaixo alguns vídeos do grande Mestre em ação no palco do Bar Forró

Veja as ùltimas Notícias

Próximos Shows

Mais shows